/** PIXELS **/ /** PIXELS **/ Em meio à pandemia, prefeito envia projeto para aumentar salários em cidade de MS - Portal Água Clara
[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
Água Clara/MS . 04 de Abril de 2020
notícias : Notícias

26/03/2020 as 09h48 / Por (Midiamax)

Em meio à pandemia, prefeito envia projeto para aumentar salários em cidade de MS

Imprimir
- Guilherme Monteiro remeteu projeto à Câmara, que começou a tramitar em regime de urgência. (Foto: Reprodução)
- Ocultar Galeria

Em um momento no qual o poder público brasileiro centraliza as atenções para os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a população de Jardim –a 238 km de Campo Grande– foi surpreendida com projeto de lei enviado pelo prefeito Guilherme Monteiro (PSDB) à Câmara Municipal, prevendo reajuste de 5% no seu salário, do vice e dos secretários municipais.

O texto chega a um Legislativo que, hoje é dividido entre base e oposição ao tucano, que tem a vantagem de um parlamentar (dos 11, 6 são governistas). E teve impulso para ser apreciado em regime de urgência, conforme requerimento assinado pelo vereador Fernando Valério Ramos (o Fernandinho, do PSDB, atual presidente do Legislativo da cidade).

O aumento salarial dos integrantes do Executivo jardinense integra o projeto de lei complementar 2/2020, que prevê o reajuste salarial dos servidores públicos efetivos, ativos, inativos, contratados e comissionados no mesmo percentual de 5% –excluídos o Magistério, os Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Endemias, que tiveram os reajustes definidos em lei própria.

O segundo parágrafo do artigo primeiro do texto prevê que o percentual também incidirá nos subsídios do Conselho Tutelar, prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e ocupantes de cargos da mesma natureza do Executivo, nos termos da lei municipal 1.854/2016 –que havia fixado em R$ 22 mil o salário do prefeito, R$ 15 mil o do vice e de R$ 8 mil o dos secretários.

Se aplicado o índice, os novos valores seriam de R$ 23,1 mil, R$ 15,7 mil e R$ 8,4 ml, respectivamente. Naquela legislação, a majoração foi determinada para 1º de janeiro de 2017, quando teve início o atual mandato de Monteiro.

Resistência

Na Câmara, porém, a proposta foi mal recebida por vereadores. Por conta da pandemia do novo coronavírus e decretos de restrição de circulação e aglomeração na cidade, as atividades do Legislativo de Jardim são feitas online, segundo explicou o vereador Pastor Daniel (Republicanos). “Antes de fecharmos os trabalhos presenciais recebemos o projeto do Executivo para aumento salarial”, afirmou.

Daniel, porém, considerou que o momento não era o apropriado para debater o tema. “Na nossa reunião de ontem [terça-feira], falamos sobre isso, que não era o momento, diante da situação que está acontecendo, com muitas famílias ficando desempregadas”, afirmou.

A promessa do vereador é de que seja apresentada emenda para “cancelar o aumento [no Executivo], deixando só o dos servidores efetivos”. O tema, porém, causou discussões.

Também contrário ao texto, o vereador Jaime Echeverria (Patri) afirmou que o projeto é “inoportuno”. “A única sugestão foi mesmo o aumento para os efetivos que, de praxe, ocorre em 1º de janeiro e neste ano eles não tiveram”.

Echeverria também se manifestou contra o projeto no atual momento. “Acho um absurdo discutir isso em uma época de pandemia, onde se fala, inclusive, de cortar salário”.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
Em MS, mulher vê filha sendo estuprada pelo avô depois de já ter sido vítima dele quando criança
'Soró' reassume cadeira na Câmara; sessão extraordinária marca despedida do suplente 'Marcão' do PT
Dois projetos de leis são aprovados na Câmara e maioria rejeita reajuste de salário aos Conselheiros
MS: Chefe de grupo que cavou túnel e pretendia fazer furto milionário usava 11 nomes para despistar
© Copyright 2012 . Portal Água Clara